Eutanásia em Animais

 Em Informativo, Luto, Luto não Reconhecido

Quando se fala em eutanásia em animais, várias são as dúvidas de um tutor que está acompanhando o seu animalzinho. Certamente é uma decisão difícil, porém, em alguns casos, necessária. É um momento muito delicado e que muitas vezes, essa pessoa não consegue expressar seus questionamentos, dificultando ainda mais a autorização do procedimento.
Devido a este contexto, segue um guia prático com as principais dúvidas para lhe auxiliar neste processo.

Principais dúvidas

O QUE É A EUTANÁSIA EM ANIMAIS?
O Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) descreve a eutanásia como “indução da cessação da vida animal, por meio de método tecnicamente aceitável e cientificamente comprovado, observando sempre os princípios éticos”.

QUANDO A EUTANÁSIA EM ANIMAIS É INDICADA?
1. É recomendada em casos nos quais há uma perda significativa na qualidade de vida do animalzinho. Em situações como: doenças degenerativas, doenças terminais, entre outros…;
2. Quando o animal constituir ameaça à saúde pública;
3. E quando o animal constituir risco à fauna nativa ou ao meio ambiente;
* É importante ressaltar, que a utilização da eutanásia em animais, fica restrita às situações nas quais não há a possibilidade da adoção de medidas alternativas.

QUEM DECIDE SOBRE A EUTANÁSIA?
O médico veterinário tem como missão lutar pela vida do seu paciente. Mas, diante de um prognóstico definitivo, a eutanásia será orientada. Logo, a decisão cabe única e exclusivamente ao tutor.
*Importante o profissional explicar sobre todo o procedimento, sanar todos os questionamentos e tratar essa situação de maneira acolhedora para o animal e seu dono, assim é possível amenizar o sofrimento da decisão.

O ANIMAL VAI SOFRER?
Não. O animal não sofre, porque ele será anestesiado antes  do procedimento.

QUANTO CUSTA?
O valor depende do porte do animal.

CONHECIMENTOS NECESSÁRIOS PARA REALIZAR A EUTANÁSIA

Segundo alguns critérios, a pessoa responsável pela eutanásia em animais deverá ter qualificação específica que abranja formação técnica, ética e humanitária comprovada sobre os métodos propostos. Além disso, é importante o serviço do profissional ser baseado com apoio emocional ao tutor e familiares. Importante ter o compromisso de proteger, fortalecer e honrar o vínculo humano-animal. Assim como, entender o motivo pelo qual o animal está sendo morto, estar familiarizado com o método e informado sobre a finalidade a que se destinará o corpo do animal.
*Importante realizar o procedimento com um médico da sua confiança.

PROCEDIMENTOS PARA A EUTANÁSIA EM ANIMAIS

COMO É REALIZADO O PROCEDIMENTO?
Primeiramente é necessário que as condições sejam adequadas tanto para o ponto de vista do executor, quanto para o ponto de vista animal. Por isso, ter cuidado com relação ao alojamento, contenção física, para minimizar a dor, o medo, a ansiedade e apreensão. Bem como, toda a manipulação do animal no momento da eutanásia deverá ser de maneira cuidadosa para obter efeito calmante. Do mesmo modo, o ambiente precisa estar livre de ruídos, limpo, longe de outros animais e com baixa luminosidade. Após a contenção o animal será anestesiado, depois receberá uma medicação que causará parada cardíaca.

QUANTO TEMPO DURA O PROCEDIMENTO?
A princípio, o procedimento dura aproximadamente cinco minutos, independente do porte do animal.

PROPRIETÁRIO OU RESPONSÁVEL LEGAL PODE ASSISTIR AO PROCEDIMENTO?
A princípio é difícil tutor ou responsável optar por assistir, porque se sente muito triste e evita este sofrimento. Mas, aos que desejam participar é possível.
*Em algumas situações tutor e veterinário tem uma relação de longa data, se o pedido de acompanhar o animal para não morrer sozinho for negado é um impacto negativo para essa pessoa. Dessa forma, o acolhimento neste momento é imprescindível.

PÓS-PROCEDIMENTO

QUAIS SÃO AS REAÇÕES QUE O ANIMAL VAI DEMONSTRAR APÓS A EUTANÁSIA?
Resumindo, uma das reações é ter espasmos musculares. Estes espasmos são totalmente involuntários e não indicam dor ou sofrimento. Entretanto é normal o cão urinar ou defecar, no momento em que os seus esfíncteres se relaxam. Mas, não é sinal de estresse, é apenas uma reação normal do organismo.

 COMO SABER SE O ANIMAL ESTÁ MORTO?
O responsável pela eutanásia vai confirmar o momento da morte, através das seguintes indicações:
– Em primeiro lugar, a ausência de movimentos torácicos e sinais de respiração. Essa confirmação pode não ser suficiente, pois a parada respiratória sempre antecede a cardíaca e pode ser reversível;
– Em segundo lugar, a ausência de batimentos cardíacos e pulso;
– Além disso, ocorre a perda da coloração das membranas mucosas que ocorre por ausência de fluxo sanguíneo;
– Também ocorre a perda do reflexo corneal;
– Finalmente a perda do brilho e umidade das córneas e rigor mortis.

O QUE FAZER COM O CORPO DO SEU ANIMAL?
Após o procedimento é necessário definir o que será feito com o corpo do seu animal.
– É possível que o tutor retire o corpo do seu animal do local, que foi realizado a eutanásia;
– Outra opção é deixar o corpo na clínica mediante o pagamento de uma taxa (algumas clínicas tem parceria com crematório e resolve essa situação);
– Por outro lado, é possível acionar um serviço funerário para animais.
A despedida é de grande importância para o processo de luto e cada família vai avaliar qual será o melhor ritual, para dizer adeus ao seu bicho de estimação.

IMPACTOS EMOCIONAIS

QUAL O IMPACTO DO PROCEDIMENTO PARA O MÉDICO E EQUIPE?
Ao mesmo tempo, a equipe médica também é impactada psicologicamente quando animais são submetidos à eutanásia. Em algum momento, para minimizar o choque, a equipe envolvida na execução da eutanásia deve passar por treinamentos continuados. Assim como, receber apoio psicológico e rodízio na atividade de execução.

QUAL O IMPACTO PARA TUTOR E FAMILIARES APÓS A MORTE DO SEU ANIMAL?
Frequentemente é muito comum tutores se responsabilizarem e insistirem em pensamentos do tipo “Poderia ter cuidado mais”, “por que não levei no veterinário antes” e sentimentos de culpa pela decisão da eutanásia. Afinal, a pessoa sempre considera que não fez o suficiente. Por isso, tente se lembrar de todo o amor que investiu, provavelmente foi o suficiente.
Quando tem criança em casa, vale ressaltar que é importante explicar o que aconteceu, ela precisa saber e aprender a lidar com essas ‘pequenas mortes’.

O PROCESSO DE LUTO

Durante o processo de luto, ocorre uma oscilação que permite a reorganização do enlutado, ou seja, em alguns momentos a pessoa estará voltada para a perda: vai chorar, sentir saudade, olhar fotos, permanecer com os objetos que lembra o seu animal. Em outros momentos, estará voltada para a restauração: vai se envolver com outras atividades, cuidar dos filhotes que ficaram ou buscar conforto com outros animais. Em algum momento, por sua vontade, poderá decidir em ter outro animal. Não substituindo o que se foi, pois este sempre será especial, mas para ter uma nova relação e poder amar outro bicho novamente.

QUANDO PROCURAR AJUDA?
Neste primeiro momento é necessário respeitar seus sentimentos.
Após o procedimento, certamente você ficará muito fragilizado(a), triste, questionando se a decisão foi correta…
Compreenda que romper o vínculo com uma “criaturinha” que fazia parte da família é uma dor sufocante, o sofrimento é semelhante a morte de uma pessoa amada. E durante o processo de luto, algumas manifestações são normais. Mas, se perceber que esse sofrimento se intensifica é importante buscar apoio profissional especializado.

SUGESTÃO DE LEITURA: Morte do Animal de Estimação.

REFERÊNCIAS
– Guia Brasileiro de Boas Práticas para a Eutanásia em Animais: Conceitos e procedimentos recomendados.
– Causas de Morte e razões para Eutanásia de Cães.
– Diretriz da Prática de Eutanásia do Concea.


ACOMPANHE MAIS CONTEÚDOS NAS REDES SOCIAIS:

Showing 125 comments
  • Tania
    Responder

    Boa noite
    Estou com um animal q não anda, só faz as necessidades deitado, e está chora do muito.peecebo q está sofrendo e não encontro um veterinário queira fazer a eutanásia.
    Como procedo?

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Tania,

      Puxa, que triste a situação dele.
      A eutanásia é indicada em situações que a qualidade de vida do animalzinho está comprometida.
      Importante tentar realizar outra consulta, entender as causas/quadro de saúde dele, avaliar se tem tratamento.
      Espero que consiga um bom profissional que te oriente de maneira adequada.
      O sofrimento é de ambos, tutor e animalzinho.
      Um abraço.

  • Rodrigo
    Responder

    gostaria de fazer uma pergunta, se o cachorro já teve aulas com adestrador, já foi tentado ser ensinado, e mesmo assim continua a noite inteira latindo, fazendo eu e meus vizinhos perder o sono já fazem 3 meses, passeio com ele, brinco com ele, proporciono um ambiente agradavel, mas mesmo assim, toda santa madrugada, ele começa a latir com tudo, começa a brigar e latir com o outro cachorro que temos, e já convivem há anos, late com todo e qualquer barulho que ouve mesmo tendo sido adestrado, não consigo nenhum jeito para doar, ninguém que conheço também quer, ele possui doenças leves, e já é um cão velho, um veterinário faria eutanasia nele caso eu pedisse ?

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Rodrigo,

      A eutanásia é indicada apenas se a qualidade de vida do animalzinho está comprometida. Lembrando que sou psicóloga, então minha resposta é dentro desse olhar ok. Lendo o seu relato, pensar em doar ou em eutanásia não é uma solução assertiva. Percebo também que está tentando resolver (adestrador, brincar, passeio). Pensa comigo, o vínculo que os cachorros tem com você e com sua família, querer doar, talvez seja uma boa opção para você e sofrimento para ele. Como é o local que eles dormem? Tem um espaço agradável, com mantas/cobertores, qual o horário que eles se alimentam, tem água, algumas vezes, podem latir por quererem fazer xixi ou coco, por verem outro bicho/inseto passar…Entender que tipo de doenças leves são essas, pois algumas deixam o animalzinho irritado, aí o outro tenta brincar e acabam ‘brigando’… observar quando não latem tanto o que pode continuar fazendo. Bom, muitas pessoas quando adquirem um animal de estimação, não consideram alguns fatores, que o bicho vai crescer, vai envelhecer, que talvez necessite de cuidados devido a condição de saúde. Não é simplesmente “vou descartar porque não me serve mais”. Acredito que nos colocarmos no lugar do outro, mesmo sendo um animalzinho nos ajuda a tomar decisões. Faça o melhor que puder fazer, entre em contato com um veterinário.
      Espero que consiga resolver!

  • Maria Goretti de Souza
    Responder

    Olá, eu me chamo Goretti, sou reencarnacionista (espírita) e gostaria de explicar o que acontece com o animal quando ele morre. Tenho como por objetivo esclarecer e confortar as pessoas que perderam seus animais de estimação. Eu também estou de luto porque perdi minha companheira de tantos anos.
    Após a morte, eles viram alma-grupo e passam a ser um elemento do todo que é utilizado imediatamente para animar o corpo de um outro animal que está sendo gerado. ¨Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.
    Não se sintam culpados por ter que optar pela eutanásia, quando o animal está sofrendo, em estado crítico, sem qualidade de vida, pois, é a decisão mais acertada a se tomar.
    Espero ter ajudado e fiquem em paz.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Maria,

      Lamento pela perda da sua companheira.
      Obrigada por compartilhar o seu olhar sobre a eutanásia. Concordo que não devem se sentir culpados, mas eles se sentem.
      Independente da crença de cada um, as pessoas podem e devem sofrer por aqueles que amam sem julgamentos.

      Um abraço.

  • Itielly
    Responder

    Olá me chamo itielly,levei meu cachorro para ser feito a eutanásia…
    A veterinária não conseguiu achar nenhuma veia para a aplicação da anestesia,tentou umas 15vezez e nada dai foi feito por inalatoria mesmo..quando chegou na hora de aplicar a injeção no coração também não conseguiu..segundo ela isso nunca tinha acontecido com ela…disse q talvez o coração estivesse muito profundo sei lá…tentou umas 20 vezes e nada..vi toda essa cena pois não conseguia sair por medo doq poderia acontecer sem minha presença….por fim sai um minuto da sala pra avisar pra minha tia oq estava acontecendo o pq de tanta demora…foi aí q ela fechou a porta e 7 minutos depois disse q foi feito o procedimento…mais tipo como??? Não conseguiu fazer depois de 20 agulhadas só depois q eu sai vem dizer q conseguiu fazer o procedimento??? E pq fechou a porta??
    Porfavor sabe me dizer oq realmente foi feito?? Qual o procedimento numa situação dessas…obrigada.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Itielly,

      Lamento por essa situação, pela perda do seu cachorro.
      Infelizmente como não médica veterinária, me limito em algum posicionamento. Se tem dúvidas tente conversar com algum profissional da área.
      Sobre os aspectos emocionais, é uma situação que impacta a todos, você como tutora do animalzinho, os próprios profissionais envolvidos no procedimento. É normal também no processo de luto, questionamentos, sobre como foi o procedimento, se o animal sofreu, o que poderia ter feito diferente…
      Acolha a sua dor, cuide de você, vivencie seu luto.
      Espero que todas as alegrias que teve com seu cachorro traga conforto em seu coração.
      Um abraço.

  • Edna
    Responder

    Olá, tenho weimaraner tenho está com 14 anos , senti dor nas articulações , um rim está comprometido , chora muito, as vezes não consegue levantar pra fazer as necessidades , faz deitada mesmo , cuido dela muito bem, está com problema em uma visão ….enfim tudo problema dela é da idade ….não sabemos o que fazer , era alegre , esperta , muito dócil e carinhosa , hoje mal anda , tbm adquiriu problema de pele , segundo veterinário a situação dela é piorar cada dia mais….estamos cogitando a eutanásia para não vê-la sofrer , como é um porte grande tudo é muito difícil, ela não consegue andar .
    Gente me ajude ….estamos sem saber como lidar com isto.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Edna,

      Lamento pelo adoecimento dela. Difícil ver quem amamos sofrer, acredito que ela esteja sofrendo.
      Conversou com o veterinário? Quando a qualidade de vida do animalzinho está comprometida, é orientado a opção da eutanásia. Importante tirar todas as dúvidas, entender que não estará “matando” seu animalzinho e sim evitando que sofra ainda mais.
      Desculpe a demora na resposta! receba o meu carinho!

      • Aline
        Responder

        Hoje me encontro numa situação difícil a doutora me disse que Victoria a melhor solução para ela seria a eutanásia sou contra a eutanásia e a minha decisão e traze lá comigo e deixa lá em meus braços até a hora de Deus se estou sendo uma criminosa que Deus me perdoe mas a amo muito e está e minha decisão e ninguém pode mudar não aceito isto também não aceito o sofrimento dela mas sei qie lá de cima papai do céu sabe a hora e o melhor momento dela me deixar e quero que ela me deixe aqui junto de mim nos meus braços sentindo o meu coração de amor por ela pedi a Deus só que não me deixe chorar para não trazer sofrimento a ela e ela entender que o amor que sinto jamais esquecerei e aconteça o que acontecer será aqui comigo amor eterno gratidão sempre minha Victoria por me fazer feliz nestes 14 anos e meio sem você não teria forças para lutar e vencer a batalha mesmo doente e peço a Deus que deixe ela mas um tempo aqui comigo e que ela vai na lei dele gente se estou errada me perdoe mas a amo tanto que quero qie ela sinta este amor nos últimos momentos

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Aline,

          Lamento muito pelo adoecimento da Victoria.

          Eu acredito que Deus perdoa sim, acredito também que a sua decisão precisa ser respeitada. Você buscou uma avaliação profissional (veterinária), ela orientou a eutanásia, mas a decisão é do tutor. Poder avaliar o todo, não apenas o seu sofrimento, mas o do animalzinho também. Certamente ela sabe o amor que você sente, guarde esses 14 anos com muito carinho em seu coração.
          Espero que o sofrimento dela seja amenizado! E não tem problema algum você chorar.
          Recebam o meu carinho.

  • Nilton
    Responder

    Meu amado cachorro Gandhi está internado faz uma semana e agora apareceu uma massa no pulmão. Ele é um Lhasa e tem 7 anos.
    É muita dor e tristeza. Ele é tudo para nós. Amor eterno.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Nilton,

      Lamento pelo que estão passando.
      Que as alegrias que tiveram com o Gandhi traga conforto no coração de todos vocês!

      Um abraço!

    • Phillipe
      Responder

      Hoje precisei decidir sobre fazer a eutanásia em um dos meus gatos. Estava com carcinoma espinocelular, tinha fiv e felv, e metástase por todo abdômen. Eu havia resgatado ele da rua, pois foi abandonado em frente a minha casa, muito debilitado. Tratei tudo que foi possível, dei a melhor qualidade de vida que eu poderia dar pra ele durante 1 ano. Sei que ele estava sofrendo e não tinha mais o que ser feito, mesmo assim me sinto culpado. Dei uma última refeição bem generosa de sua comida preferida, junto com um copão de leite morno, brincamos um pouco e após ele dormir, o levei para clínica. Optei por assistir para não deixá-lo sozinho em seu último momento. Foi a primeira vez que precisei optar pela eutanásia. Espero que essa culpa passe logo. Sei que era o melhor pra ele, mas é muito difícil tomar essa decisão, e mais difícil conviver com ela.

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Phillipe,

        Puxa! Fiquei com os olhos marejados ao ler seu relato.
        Dor e Amor, que ótimo que fez essa despedida, acompanhar o procedimento. Sim, realmente uma decisão difícil e provavelmente para outras pessoas seria difícil resgatar um animalzinho abandonado e debilitado. Mas você, não só resgatou, como tratou e proporcionou o melhor que pode. Me corrija se estiver errada, mas sinto que esse 1 ano foi de muito amor, tanto para você, quanto para ele. Infelizmente esse é o preço que pagamos, amamos, sofremos, sofremos e amamos novamente. Ainda assim vale a pena.
        Receba o meu carinho e espero que sempre tenha espaço na sua casa e no seu coração para novos gatos!

  • Larissa Navarro
    Responder

    Boa noite Pessoal.
    Dia 12 de abril de 2021. Minha cachorrinha Moly passou por uma mastec estava com 2 tumores enorme no quadro mamário. Ela tinha 18 anos, operamos no intuito de ficar bem. Antes da cirurgia fiz todos os exames que precisava e vimos que ela aguentaria e fizemos. Ocorreu tudo bem.. na quarta feira ela começou a ter ematomas horríveis na barriga perto dos pontos.. na carne viva, levamos ao vet tomou injeções e era pra voltar no outro dia para ver como ela estava..no outro dia as patas do lado esquerdo começaram a ficar enchadas e os ematomas dos pontos continuava. Dando remédios tudo certinho. Voltamos ao vet e fomos aconselhados a fazer um exame, fizemos. No exame deu problemas renais, problemas no fígado e anemia… Fui aconselhada a dar 3 dias de soro, no primeiro dia de soro minha cachorra voltou pra casa cega e detalhe só tinha um olho.. ela não queria comer, não queria tomar água, não queria mais levantar para fazer suas nessessidades, quando levantava se batia em tudo porque não estava enchergando, fui ao vet e descobrimos também pressão alta.. depois da cirurgia cada dia mais ela piorava já não queria mais fazer nada.. então conversei com o vet sobre a eutanásia, a princípio eles não queriam, queriam tentar até o final mais cada dia mais ela piorava. Até que depois de tivermos uma conversa ele disse sobre a eutanásia. Seria um tratamento pro resto da vida, por conta do rim, fígado e os outros problemas e eu infelizmente não poderia arcar com tratamento pro resto da vida, só na cirurgia e nos tratamentos após c os problemas que deu gastei mais de 5 mil, tentei fazer com que ela ficasse bem, mais não ficou. E já era bem velha tinha 18 anos quase 19…
    Mais depois do acontecido choro todos os dias e penso se poderia ter feito mais. E eu não acompanhei a eutanásia, me despedir e fui embora eu não aguentaria de verdade … Mais hoje no segundo dia após me culpo… E fico pensando será que fizeram realmente a eutanásia? 😭😭😭😭

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Larissa,

      Lamento muito ler sobre sua perda. Me emociono em pensar sobre o sofrimento da Moly.
      Acalme o seu coração, sinceramente mesmo com a possibilidade financeira de seguir no tratamento, será que realmente seria o melhor para ela? Considerando o pós cirúrgico, a idade…Provavelmente fez o seu melhor, agora está sofrendo com a morte dela, o que é normal, está em luto pela perda da sua cachorrinha. Se você solicitou o serviço acredito que tenha sido feito sim, mas se está com essa dúvida e perguntar ao veterinário pode te fazer se sentir melhor, entre em contato.
      De verdade eu te encorajo a ser mais compreensível com você!
      Receba o meu carinho!

  • Ninha
    Responder

    Olá gente estou muito triste meu coração doe muito , bethovem é um animal um cachorrinho que peguei pequeno cuidei , dele mais ele cresceu nós divertindo muito juntos ele pegou uma doença calasar deu positivo ele ainda estava bem andava ,corria mais bom o pelo dele caia unhas grandes e o pelo da orelha caindo olhos saiam melecas eu tive que levar para o sacrifício , me arrependir fui a trás más era tarde , chorei muito só eu sei o sentimento de culpa é como se eu tivesse levado meu filho sab gente e horrível não tenho direito de acabar com a vida dele isso! Tá me a tormenta do muito queria meu bethovem de volta como eu queria

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Ninha,

      Querida! Receba o meu carinho e abraço virtual!
      Acredito sim que o seu coração esteja doendo, quando perdemos quem amamos e incluímos sim os pets, dói corpo e alma.
      Principalmente em situações de eutanásia, não tem como negar, muitos, muitos tutores se sentem culpados.
      O que posso dizer é que você está de luto pelo bethovem, cuide da sua dor, acredito que fez o melhor que pode e por amor não queria vê-lo sofrer. Por isso, não se sinta culpada não.

      Um beijo!

  • Isabelle
    Responder

    Em 2018 eu e minha família adotamos a Pumara, nossa gatinha ela já era uma gata bem velhinha, 11 anos. Ela sempre foi dócil, adorava caçar libélulas e nos trazer como presente, nos pedia colo e mal miava de tão velha, ela sempre foi um doce.
    Em 2020 a Puma ficou doente, com uma infecção no pulmão, tentamos tratar diversas vezes mas sempre volta, não temos muito dinheiro e me sinto mal por não poder ajudar mais. Ela não consegue mais se segurar em pé, não tem ido ao banheiro e come pouco, está muito magrinha, está babando muito e o cheiro dela, por causa da infecção pulmonar, é como se estivesse em decomposição (apesar de eu limpar todos os dias, já que ela não pode tomar banho), as vezes ela não quer nem que eu e meus pais cheguemos perto e se esquiva. Hoje eu consegui fazer carinho nela sem ela ficar arisca e chorei, porque ela não vai voltar ao normal. É um sofrimento fazer ela comer e tomar água todos os dias. Nem usar a caixa de areia está conseguindo.
    Pedi a deus que se ela começasse a sentir dor que ele me ajudasse a tomar a decisão certa, pois ela sempre me fez feliz e eu não aguento ver ela sofrer. Eu amo muito a Puma, foi minha primeira gatinha, me dói tanto dizer isso, mas talvez a eutanásia seja uma das minhas únicas opções,não consigo mais ser egoísta e assistir minha gatinha definhar cada dia mais.
    Eu sou grata por tudo que ela me proporcionou, me ajudou a criar responsabilidade, afeto, me fez sorrir, me acompanhou nas tardes em que eu costurava, sentou nos meus cadernos enquanto eu estudava e ronronou pra mim quando estive triste, eu te amo, Puma, e caso eu tome essa decisão, foi pro bem. Obrigada por tudo.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Isabelle,

      Que relato lindo! Sim, lindo pois senti muito amor e também o sofrimento que estão passando. Tem um autor sobre o luto que diz o seguinte: “o luto é o preço que pagamos pelo amor…”. Quanta história construíram nesses três anos, parabéns por permitir que ela fizesse parte da sua vida (adoção). Ver o animalzinho adoecer, o sofrimento é semelhante se fosse uma pessoa próxima. Diante do seu relato, acredito que seja bem difícil, até mesmo para ela. O veterinário já mencionou a eutanásia? A eutanásia é indicada quando a qualidade de vida do animal está comprometida. As pessoas de modo geral se sentem culpadas com essa decisão, sinceramente eu me sentiria culpada se permitisse que um bichinho meu ficasse sofrendo. (Sim, estou dando a minha opinião no seu relato).

      Desejo de verdade que o sofrimento dela seja amenizado, independente da sua decisão. Claro, o seu sofrimento também.
      Recebam o meu carinho!

      • Alanna silva
        Responder

        Boa noite. Minha cachorrinha tem 15 anos, ela perdeu a movimentação das patas traseiras, não anda mais, se alimenta se dermos e água também (isso não alterou) ela se alimenta bem, porém ela faz as necessidades deitada, não enxerga mais direito e está surda. Ela parece aérea, não responde ao nosso chamado porém se a colocarmos no colo ela parece que está olhando pra gente, não sei explicar, parece que sente que está com a gente. Algumas pessoas disseram que ela está sofrendo para fazermos a eutanásia e eu não sei o que eu faço. São 15 anos, uma Schnauzer, fiz tudo por ela eu não sei se é certo fazer pelo fato dela sofrer ou se deixo até ela ter a morte natural. Como veterinária acha mesmo que ela está sofrendo? Por não poder fazer mais nada sozinha?

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Alanna,

          Lamento pela perda dos movimentos das patinhas dela. Eu sou psicóloga, o mais adequado é uma avaliação com o médico veterinário. Infelizmente, quanto mais avança a idade, eles podem ficar debilitados. O que ela mais precisa é de cuidado e de Amor. Espero que o melhor aconteça.
          Receba o meu carinho.

        • Silmara
          Responder

          Boa tarde,

          Meus pais já são de idade e adotaram um cachorro de porte grande que é extremamente agressivo, por isso ele fica solto no fundo do quintal que é grande. Mas é um sofrimento colocar a comida dele e limpar o ambiente pois ele é extremamente raivoso, não conseguimos castra ló pois é impossível colocar ele no carro, e sempre pula em cima para atacar, em pé tem em média 1,50

          Já tentamos doar mas ninguém aceita e fico com medo dos meus pais a cada dia mais velhos sofrerem um ataque do cachorro.

          • Cristiane Assumpção

            Olá Silmara,

            Puxa, compreendo sua preocupação, já tentou um adestrador?
            Depois me conta aqui!

            Um abraço!

      • Mari
        Responder

        Ola, minha cachorra possuí um tumor que está crescendo muito, ela tem cerca de 15 anos, e além disso recentemente ela fraturou o osso da perna, nossa família não possuem o dinheiro pra nenhum procedimento cirurgico. ela está com muitas dificuldades de andar e fazer as necessidades, está sofrendo e eu estou de mão atadas, a eutánasia seria uma opção pra ela? Odeio pensar nisso mas não sei mais o que fazer pra tirar a dor dela.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Mari,

          Lamento pelo que estão passando.
          A pessoa mais adequada para te responder é o médico veterinário, sei que quando a qualidade de vida do animalzinho está comprometida a eutanásia é sim uma opção. Por mais que eu diga, “não se odeie por isso” é algo que faz sofrer, pois quem tem e ama seus bichinhos, não quer decidir por isso. Mas acredito que amenizar a dor deles é sim um ato de Amor!
          Agende uma consulta com um profissional da sua confiança e tire suas dúvidas, quanto mais adiar, mais difícil para todos vocês e para ela.
          Receba o meu carinho!

  • Karen dos santos machado
    Responder

    Bom dia!

    Eu tenho minha gatinha Bella que está doente e tanto ela como minha mãe e eu viemos sofrendo muito
    A Bella é uma gata de 11 anos que a cerca de 8 anos foi curada de um câncer na mama , mas que agora apareceu um tumor entre o tórax gerando assim um acumulo de pus segundo a veterinária que a dificulta de respira, fazendo com que tenhamos que leva lá até a veterinária para fazer o procedimento de drenagem
    Mas é muito difícil vela gemer de dor quando aquela agulha fica enfiada nela
    E já foram várias vezes drenando e drenando , aí voltamos pra casa ela fica boazinha uns 2 3 dias e depois volta a respirar com dificuldade e começa tudo de novo
    Novo sofrimento a nossa Bella.
    Minha mãe que é a única que consegue segura lá não quer mais essa situação com nossa pequena é muito sofrimento
    E eu tambem por mais que eu a ame tanto eu preciso parar de ser egoísta e pensar somente em mim , minha Bella é tudo pra mim é minha filha, minha companheira desde pequeninha
    Mas eu jamais vou suporta vela sofrendo
    Estou sofrendo tanto que meu peito dói mas não há o que fazer
    Então eu e minha mãe decidimos se não deixa mais picarem a Bella e se por um acaso ela começa a se sentir ruim com falta de ar nos vamos livra lá desse sofrimento todo
    E só o que eu peço é que minha pequena não sinta dor
    Nem sofrimento e que os anjinhos cuidem minha bebê ao lado de deus . E que um dia eu a reencontre num mundo sem dor, e sem angústia .

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Karen,

      Senti tanta dor e tanto Amor no seu relato. Lamento pelo que estão passando.
      Difícil ver quem amamos sofrer, quando a qualidade de vida do animalzinho está comprometida, o veterinário orienta a eutanásia.
      Desejo que ela não sofra e que você guarde com carinho o quanto ela foi especial na sua vida.
      Recebam o meu carinho e que os Anjos cuidem da Bella.

  • Vivian Alcobaca da Silva
    Responder

    Meu bebê era um Weimaraner , estava a completar 13 anos semana que vem , a dois meses venho correndo com ele para p hospital, ficou internado, melhorou , apareceu pneumonia, anemia e entre outros, ele parou de andar , estava fazendo as necessidades em fraldas.
    internei novamente semana retrasada, saiu da internação, ficou dois dias bom e voltou a decair, na madrugada do dia 09/01/2021, levei correndo para o hospital, ele não comia , não bebia , náo tinha reação alguma, só abanava o rabo de vez em quando, e quando a médica veio examinar ele , disse que não tinha mais o que fazer, que ele não ia melhorar, e que a eutanasia era a melhor coisa a ser feito para ele.
    Eu não queria fazer isso jamais, mas ela disse ele está sofrendo muito,ele não vai melhorar, vc vai internar e ele quando voltar para casa vai piorar novamente. Acabei autorizando, estou com uma dor imensa, estou acabada, estou tomando calmante para conseguir dormir, não consigo entrar na minha casa, pois ele dormia do lado da minha cama para eu cuidar dele a noite.
    EStou tendo febre , não paro um minuto de pensar nele, se tivesse deixado mais um dia se ele ia melhorar,
    está muito dificil, não sei se vou aguentar, ele era tão bonzinho, carinhoso, não tinha uma pessoa que não gostasse dele, pedi para deus levar ele e não deixar tomar essa decisão.
    pedi várias vezes para deus tirar dor dele e colocar em mim.

    estou arrasada e com um peso na minha consciência.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Vivian,

      Essa raça é muito linda! Lamento pela perda dele. Eu sempre digo o seguinte “cachorro é reflexo do dono”, se diz que o seu cachorro era bonzinho, carinhoso e que não tinha uma pessoa que não gostasse dele…é bem provável que você seja assim. Acredito que se ele era desse jeito, foi porque você cuidou muito bem. Acredito também, que as vezes, precisamos fazer coisas que não desejamos pois será o melhor para aqueles que amamos. É impossível eu tirar a dor que está sentindo apenas com algumas palavras aqui. Mas receba o meu carinho, mesmo que virtual. A decisão da eutanásia causa desconforto, culpa, arrependimento… fez o melhor que pode! A dor que sente não será sanada com medicação, não reprima os sentimentos. Cuide de você e guarde as boas lembranças em seu coração.

      Um abraço!

    • Renata
      Responder

      Meu poodo se tornou muito agressivo e está mordendo as pessoas. Já fui processada 1 vez não quero correr esse risco outra x , não quero doar pq tenho medo das pessoas judiar bater enfim maltratar meu filho de quatro patas então resolvi a autanassi pois sei que farei o melhor por ele ninguém irá judiar ou abandonar na rua pois criei com muito amor mas está insustentável ficar com ele . Alguém pra me orientar ou concordam comigo?? Boa noite.

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Renata,

        Estamos aqui para tentar ajudar, pensando em você e no seu cachorrinho! Você já conversou com algum veterinário? Ele está com alguma doença, que talvez justifique a agressividade? Qual a idade dele?
        Se a saúde está comprometida e o veterinário cogitou a eutanásia é uma situação. “Apenas” a agressividade, seria interessante avaliar outras possibilidades, como falar com um adestrador…
        Continue dando todo o amor que ele merece, um abraço.

  • Aline
    Responder

    Hj será feita a eutanásia no meu cachorrinho de 8 anos, infelizmente deu cinomose nós exames dele, já comprometeu o fígado,o baco,e o sistema renal,sem contar no liquido da barriga, estamos muito triste 😔😥😥😥

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Aline,

      Acredito que estejam tristes sim! Lamento pela perda do cachorrinho de vocês.
      Difícil quando a saúde está comprometida, nosso desejo é de que eles não sofram mais.

      Receba o meu carinho!

      • Beatriz
        Responder

        Minha cachorrinha tem 12 aninhos (quase 13), chamada Kika. Semana passada fizemos uma cirurgia nela pois descobrimos que ela estava com câncer de mama…no mesmo dia pós a cirurgia a veterinária descobriu um tumor enorme no útero e teve que tirar também, ficou umas bolinhas pequenas do outro lado do peito dela, porém não teve como retirar pois tiveram dificuldade por causa da pele optando até por enxerto. Como eu trabalho minha mãe que ficou observando ela, já se faz 1 semana que ela operou e ontem quando meus pais foram fazer a troca do curativo vimos uma boa parte da pele rasgada…e o pior de tudo, e que desdo primeiro dia é uma luta para limpar, ela tenta avançar as vezes não conseguimos segurar (nem no próprio veterinário). Ela e uma ótima companheira, mas por conta desse estresse todo e esse corte na pele dela, meus pais a levaram hoje ao veterinário na intenção de fazer o procedimento de eutanásia… Realmente foi muito difícil ter essa opção aqui em casa, mas…não queremos ver ela sofrer, ela já é velhinha (mesmo que ativa), ela não vai aguentar outra cirurgia e nós não vamos conseguir cuidar os curativos….
        A veterinária que acompanha ela já sabe o quão grave foi a cirurgia, então só vamos ter que espera o que ela irá dizer sobre essa situação…E minha maior preocupação e decidirem fazer na hora que meus pais for levar ela pois estarei trabalhando, mas quero acompanhar ela até o fim….

        Desculpe os erros, escrevi na praça…

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Beatriz,

          Lamento o diagnóstico da Kika! Ninguém aqui tem que se desculpar por “erros”, eu também erro. O objetivo aqui é trazer um pouco de acolhimento para todos que sofrem por quem amam e não “fiscalizar a escrita”. Fique tranquila.
          Puxa, entendo que gostaria de estar com ela. Caso não seja possível estar presente, você pode fazer algum tipo de homenagem em outro momento. Se não conseguiu se despedir, também pode fazer de outra forma, escrevendo, conversando com alguém, fazendo algo que faça sentido para você e para ela.

          Receba o meu carinho!

        • iara cristina Teixeira
          Responder

          Olá, tenho uma lhasa de que vai fazer 18 anos dia 14 de fevereiro 2021 . Ela já teve a febre maculosa e piometria quando era mais nova . Há uns 5 meses venho lutando com ela com um câncer nas glândulas mamárias. O veterinário disse que o buraco que abriu que cabe um dedo e que é maior que uma moeda de 1 real não iria fechar mais … Que iria ter que fazer curativos todos os dias… Pois bem .. de lá pra cá todos os dias fazemos curativos o veterinário não recomenda cirurgia por conta da idade dela … Porém de 3 dias para cá ela está cheirando carniça, as perninhas estão fracas …e quando pegamos nela ela grita de dor … e o veterinário simplesmente diz que devo continuar com curativos e Dipirona… acho isso o cumulo isso .nao entendo , ela sente dor …

          • Cristiane Assumpção

            Olá Iara,

            Lamento a situação que estão passando.
            Estou lendo sua mensagem em 15/02, então meus parabéns pelos 18 anos dela.
            Você pensou em conversar com outro médico? Considero importante confiar no trabalho do veterinário. Como não é minha área, não sei dizer se ele está seguindo um protocolo correto, então na dúvida, vale uma segunda opinião. O mais importante é zelar pela sua cachorrinha.
            Desejo que o sofrimento de vocês seja amenizado.

            Recebam o meu carinho!

      • Tita
        Responder

        Quando o carro morre por doença, e ele é que está a ajudando a a pessoa a sai da depressão, o governo não ajuda a pessoa até ela se adaptar com outro cachorro?

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Tita,

          Sobre o governo ajudar eu infelizmente não tenho conhecimento para responder. Uma pessoa com diagnóstico de depressão necessita de tratamento adequado: um acompanhamento com psiquiatra (medicação) e psicólogo. Outros recursos (religiosidade, animal de estimação…) podem contribuir, o que não descarta o tratamento citado.

          Cuide-se!

    • Ketlen
      Responder

      Perdi a minha hoje deu cinomose várias convulsão ficou cega não levantava não comia optei pela a eutanásia médico disse que o caso será não teria cura 😔 tô com um aperto no peito uma tristeza terrível e a dúvida se foi correto oque fiz

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Ktlen,

        Lamento por sua perda.
        Estranharia se não estivesse triste! Impossível não sofrer por eles, o que sentindo faz parte do processo de luto. Isso não é errado e não é anormal. Certamente ninguém quer ser responsável por esse tipo de decisão e mesmo com todo respaldo médico, vem a dúvida se foi correto ou não. Tenha certeza que aqui, sua decisão não será julgada, acredito que fez o correto. Cuide de você, do seu luto!

        Receba o meu carinho!

  • Daniella
    Responder

    Eu tô com uma dúvida que tá me matando de remorso. No último dia 31, minha vizinha me pediu ajuda pra resgatar um gato que havia sido atacado por dois cães, como eu tenho jeito com gatos (eu tenho 18 em casa) emprestei a caixa de transporte, fui lá e rapidamente consegui colocá-lo na caixinha pra levá-lo ao vet. Ele tava se arrastando não conseguia andar tinha um corte na coxa a boca sangrando e tava muito assustado, e aí começa a minha burrice eu dei o endereço da clínica pra ela e não fui junto e esperava que ele fosse se recuperar e ia ligar pra ela pra dizer que eu poderia fazer o resto do tratamento dele em casa que ele poderia ficar comigo até se recuperar, mas demorei pra ligar quando ela voltou da clínica disse que ele precisou ser eutanasiado, que ele havia perdido uma perna (a perna havia sido arrancada), eu não ví isso pq quando ele se arrastou para a caixa de transporte a perna foi junto, que ele tava todo cortado por baixo, que a respiração tava difícil,e que estava agonizando e que como ele não tinha dono o melhor para acabar com o sofrimento seria a eutanásia, mas ela tb falou que tava difícil pra anestesia-lo porque ele tava muito arisco e não deixava, e eu fico pensando como um bicho agonizando consegue lutar contra mais de uma pessoa tentando segurá-lo, será que não estava lutando pela vida e eu não consigo parar de pensar que a clínica só o sacrificou porque ele não tinha um tutor definido, isso me matou por dentro, eu sei que eu errei ao não acompanhá-la até a vet mas pode o médico sacrificar um animal que tem chance de sobreviver caso o responsável alegue que não pode pagar pelo tratamento. Essa vizinha é uma pessoa muito boa, e pagou pela eutanásia e tudo mais mas penso que salvá-lo ficaria muito mais caro e dadas as opções o médico deu esta opção mas não deveria ter um código de ética que impedisse o médico de eutanasiar um animal que ainda tem chance. Será que realmente ele não tinha mais chance? Perder uma perna não seria motivo. ?Minha dúvida é se ele foi eutanasiado porque não tinha chance ou se foi porque não teria alguém pra pagar o tratamento, alguém para assumir uma dívida maior. Se eu estivesse junto eu assumiria, mas não deveria ter um procedimento pra esse tipoi de coisa, quer dizer se um animal chega muito ferido a uma clínica e o tratamento vai ficar muito, mas muito caro e a pessoa só pode gastar até certa quantia o procedimento é sacrificar??? Eu não consigo tirar isso da cabeça, eu me sinto péssima eu nunca teria autorizado eutanasiar um animal que ainda tem chance mas essa minha vizinha não conhece nada sobre gatos ela fez o que pôde. Enfim poderia me tirar essa dúvida de qual é o procedimento quando o bicho chega muito mal mas a pessoa não tem $$$$ suficiente pra pagar todo o tratamento.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Daniella,

      Lamento pela morte do gatinho e toda situação!
      Sempre nos questionamos sobre o que “poderia” ter feito, se alguém “errou”, se alguém foi “negligente”…
      Acredito que todos ajudaram de alguma maneira, sua vizinha pediu ajuda, por saber da sua habilidade e carinho de cuidar de 18 gatos, ela tentou… O médico faz um juramento de prevenção e cura, a eutanásia é indicada quando a qualidade de vida do animalzinho está comprometida. Você mencionou que a perninha foi arrancada, que ele estava cortado por baixo e a respiração difícil… O sofrimento foi sanado por não ter condições de recuperação provavelmente. E não por não ter um dono ou dinheiro para um possível tratamento. Já vi vários casos de bichinhos em situações semelhantes e o próprio veterinário adotá-lo. Se acalma o seu coração, não se sinta culpada, acredito que talvez você agiria diferente se pudesse, iria com ela ao veterinário. Mas, não mudaria o que aconteceu. Sobre ele ficar arrisco na hora da anestesia, ele foi atacado, certamente assustado, com medo, estava totalmente na defensiva, talvez com dor…
      Sobre sua última pergunta, cada estabelecimento trabalha de uma forma, indicando um local mais acessível talvez…
      Médicos zelam pela vida. E eu acredito que a melhor maneira é ajudar a cuidar (orientando o melhor para o animalzinho e para o tutor)..

      Um abraço!

      • Thais
        Responder

        Meu coração está em pedaços , meu filho de 4 patas felino ficou muito doente uma doença que deixou ele amarelo, e cada dia só foi piorando , ele tinha mais chance de morrer do que de viver me falou a veterinária , ela disse que ele estava sofrendo muito , então me falou da eutanásia 😔
        Eu asceitei esse procedimento, pensando no sofrimento que ele estava , então asceitei pois assim ele ficaria em paz , mas hj eu choro todos os dias e mi questiono, se fiz a escolha certa
        Meu Deus como dói , que vazio no coração , o nome dele era Princi, meu filho amado, companheiro , não sei como vou viver sem ele 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Thais,

          Lamento pela perda do seu felino.
          Acredito no seu questionamento, sobre ter feito ou não a coisa certa.
          Acredito que também que não tenha sido fácil para você, para o Princi (adorei o nome).
          Dói, o amor dói, a saudade dói…dói continuar sem ele em sua vida. Ele não estará mais presente fisicamente, mas pode estar presente para sempre em seu coração.
          Respeite sua dor, viva o seu luto.
          Um abraço.

    • [email protected]
      Responder

      Meu cachorrinho Oscar,foi diagnóstico recentemente,com neoplasia de células arrendondas (malignas)descobri pq ele tava mancando,foi questão de dias,pra ele está com a perna toda da inchada e avermelhada, piorando a locomoção, também tinha vários tumores de tamanhos variado,uma anemia forte por conta da doença,pra não ver ele sofrer e sem dinheiro pra prolongar esses dias de sofrimento,uma vez q não tem cura,optamos por eutanasiar.foi ontem 08/01/2021,mas estamos atrasados,eu estou pior, choro direto,estou inconsolável 😭😭😭😭e realmente achando q poderia ter feito mais.mesmo q não tivesse cura.Que dor perder esses amiguinhos.Durante o procedimento ,ele tomou a anestesia geral,e depois ao receber a outra medicação,ele descansou com os olhinhos abertos, Doutora,pq eles morrem com os olhinhos abertos,vagos?adeus meu amiguinho.te amo e ,não queria ver e deixar vc sofre!🐕💫🖤🖤🖤💔😭

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Thaissa,

        Lamento pela perda do Oscar! Muito triste perder os nossos amiguinhos, eles são muito companheiros e amados!
        Acredito que sempre iremos nos questionar, por mais que tivesse feito de tudo, iria considerar que foi insuficiente.
        Infelizmente tem situações que ocorrem além do nosso controle, resta guardar todo o amor em seu coração.
        Sobre o choro, é uma reação da dor que está enfrentando, da dor de perder quem foi especial, seja ele uma pessoa ou um cachorro.
        Com relação aos olhinhos, o médico veterinário poderia explicar melhor.
        Quero deixar aqui o link do meu e-book, faça a leitura, acredito que poderá te ajudar.
        Um abraço.
        https://www.cristianeassumpcao.com.br/baixe-o-meu-e-book/

        • Larissa
          Responder

          Estou na maior dúvida de fazer ou ao a eutanásia no meu cachorro. Ele foi diagnosticado com um cálculo enorme na bexiga e várias outras lesões em todo trajeto urinário. Além, de um rim com lesões, devido ao retorno de urina e o outro sobrecarregado. A cirurgia foi indicada, mas não tem garantia de que ele vai melhorar, pois está muito debilitado. Ele vem sofrendo muito. Não sei o que fazer:(

          • Cristiane Assumpção

            Olá Larissa,

            Lamento pelo quadro clínico do seu cachorro. Como o médico já explicou, infelizmente a cirurgia não é garantia de melhora, dado todas as lesões. É uma decisão difícil, muitas dúvidas, talvez sentimento de culpa ou por acreditar que “vai matá-lo”. Mas a decisão é sua. A vida nos coloca em situações delicadas, mas acredito que precisamos ter tranquilidade em nossas decisões. Se for preciso, converse novamente com o médico, coloque todas as suas dúvidas. Converse também com o seu cachorro, olhe nos olhinhos dele, abrace-o… Ambas as decisões serão difíceis, resta saber qual vocês sofrerão menos.

            Um abraço, desejo que ele fique em paz e com menos sofrimento.

      • Monalisa
        Responder

        Dia 18/01/21tomei uma das piores decisão,meu cachorro estava com mastocitoma,fez cirugia não resolveu,tava fazendo quimio mas não táva respondendo a quimio,pois o tumor não parava de crescer.mas tava comendo pouco mas tava .a dra falou na eutanásia e eu aceitei mas agora não consigo me perdoa,será que meu BB não poderia te ficado vivo mesmo a base de remédio para dor.depois que vi sobre um remédio chamada Palladium agora que a culpa tá acabando comigo.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Monalisa,

          Lamento pela perda do seu cachorro. Você terá o seu momento para se perdoar.
          Lendo o seu relato, fica claro que a qualidade de vida estava comprometida. Se o profissional orienta esse procedimento é porque avaliou todas as possibilidades de ajuda. É comum se questionar, pois não é fácil decidir/autorizar a eutanásia.
          Importante você se cuidar, cuidar do seu luto. Sim, vivenciamos um processo de luto quando perdemos o nosso animal de estimação.

          Receba o meu abraço virtual!

    • Ângela Dorina
      Responder

      Hoje enterrai minha gatinha devido hemorragia interna , por paragem de funcionamento de vesicula brilhara , que resultou fissura no fígado e hemorragia interna serra dava ser salva ??O os médicos cansar-se! Estou com duvida , obrigada

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Ângela,

        Lamento pela perda da sua gatinha. (Adoro animais)
        Puxa, não sou médica, mas pelo seu relato, hemorragia… penso que estava bem comprometida. Acredito que os profissionais esgotam todas as possibilidades, acredito também, que é doloroso para eles perder um paciente (neste caso, a sua gatinha). Se estivesse no seu lugar, talvez me questionasse como você, pois o amor é tanto, que buscamos por respostas, ficamos com dúvidas se de fato tiveram cuidado. A verdade é que dói, dói muito lidar com a perda deles. Espero que você tenha se despedido carinho e que também possa guardar em seu coração todas as boas memórias que teve com ela.

        Um abraço!

  • Karina
    Responder

    Levei meu gatinho de 13 anos ontem porque não havia mais o que fazer. Ele estava com Ostomielite grave. Removeu os caninos mas não adiantou. Os rins estavam afetados é também estava com anemia. Ele era gordo. Está luta durou 3 meses e no final ele estava acabado, mal conseguia andar..não bebia mais água. Minha mãe estava alimentando-o com seŕinga… Ele não urinava mais. Foi a decisão mais difícil que tomei na vida mas não podia mais ver o meu amigo assim. Fiquei com ele no procedimento. A veterinária foi bem sensível e acredito que ele não tenha sofrido no procedimento. Estou muito arrasada mas não podia mais vê-lo agilizar.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Karina,

      Lamento pela perda do seu gatinho, que boa notícia receber o carinho da médica, poder estar presente no procedimento, considerando os últimos momentos com ele. Mesmo sabendo que é para interromper com o sofrimento dele, não tem como não se sentir desconfortável com a decisão.

      Receba o meu carinho.

  • Elza
    Responder

    Ola, tenho uma cachirrinha ja faz 9 anos que esta comigo, agora deu cancer de mama, mandei fazer a cirurgia para retirada do tumor, cuidei 4 meses para a cirurgia fechar, pensei que ia ficar boa mas voltou o tumor com tdo, esta enorme e crescendo muito rapido, ela quase nao come, vive deitada, triste, deve estar com dor, respiraçao ofegante, pensei em fazer a eutanasia para nao ver ela sofrer, mas nao sei se e a hora, esta dificil para mim, mas nao quero que ela sofra mais, o que devo fazer??

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Elza,

      Desculpe a demora na resposta. Lamento pelo sofrimento da sua cachorrinha. O melhor é consultar um médico veterinário, dentro do que está descrevendo provavelmente ele oriente a eutanásia. Recebam o meu carinho.

      Um abraço.

    • Marcia krieck
      Responder

      Levei meu coelho pra fazer eutanásia,foi preciso não andava mais, só se arrastando pela casa.Achei .Vim procurar informações sobre a eutanásia,e parei aqui.Quero lhe parabenizar pelas informações,e pela solidariedade.Obrigado,por tantas palavras de carinho.🙏

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Márcia!

        Lamento muito por seu coelho! Primeira vez que recebo uma mensagem, descrevendo que é um coelho (eles são fofos demais, minha família já teve um).
        Fico feliz em saber que as trocas que fazemos aqui, te ajudou de alguma maneira. Pois é triste perder um bichinho e digo mais, vê-los sofrer, debilitados dói o ‘coração’.
        Um abraço acolhedor!

  • Cristoffer
    Responder

    Tinha um filhinho a 15 anos, ele entou em uma fase da minha vida muito difícil, sempre esteve do meu lado, mesmo eu sendo errado, sem dinheiro mas com carinho pra ele.
    Crescemos juntos mas…a alguns dias ele adoeceu feio, só vomitava, ate a agua que tomava, nao comia a 3 dias e estava tao fraquinho que ficava atirado nos cantos sem conseguir levantat.
    Indo a acaminho da clínica, sabia oque fazer, e achei estar pronto na decisão
    Mas quando cheguei e ouvi da médica…vi ele deitado sofrendo… Esqueci tudo, virei uma criança chorando e ate agora nao me caiu a ficha que nao verei mais meu roda-pé, meu venho, meu scobydu… Fico olhando o patio procurando meu querido e falecido filho.
    Ele era um salsicha muito querido por todos, acoava pras visitas, mas logo ia correndo feliz pra ganhar carinho.
    Eu sempre vou te amar filho, aonde quer que eu esteja, com quem eu esteja, sempre vou ter um espaco enorme no peito so pra nos, nossas lembranças, nossas brincadeiras…
    Descanse em paz Luck veio.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Cristoffer,

      Lamento pela perda do seu filho Luck. O luto é um processo regressivo, esse protesto inicial é comum, quando menciona que chorou como criança. E está tudo bem, você perdeu o seu companheiro, como mesmo disse, ele te acompanhou nos melhores momentos e também nos períodos difíceis.
      Acredito que ele sempre terá um lugar em seu coração, na sua memória. Isso é Amor! Cuide de você, vivencie a sua dor, não negligencie isso, faz parte desse processo natural que é o luto.
      Receba o meu carinho!

    • Ieda
      Responder

      Dia 23 deste mês, após ver meu gatinho definhando, sem comer, sem tomar água, com diarreia, achei que para aliviar sua dor, a eutanásia seria o recomendável. Mas estou sofrendo muito porque na hora da anestesia ele gritou. Ele não queria ir à clínica, w
      e lá chegando se escondeu entre meus braços. Essas senas não sai de minha Cabeça, penso que deveria ter deixado em casa até seu final. Gostaria de saber porque ele gritou ao tomar a anestesia. Não vou ter paz enquanto não souber do porquê .Peço perdão a ele todos os dia. Estou morrendo aos poucos de tanto sofrimento. Por favor, me ajudem

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Ieda,

        Receba o carinho de todos aqui, percebo que esteja se sentindo culpada. Mas, acredito que é um peso muito grande e muitas vezes essa culpa é irreal. Você mencionou que ele estava “definhando”, ninguém deseja ver quem ama assim. Talvez ele estivesse assustado, com medo, os nossos bichinhos estranham quando não estão no espaço deles. Talvez seria mais difícil você vê-lo morrer em casa… não tem como saber. E muitas respostas não teremos… Mas acredito que precisamos guardar as boas lembranças, o quanto o amou nesse período, como ele era com você… Cuide dos seus sentimentos, cuide você.

        Um beijo

  • Fabio
    Responder

    Minha querida Natasha está com quase 19 anos. Com 15 teve tumor de mama, operamos ela. Consegui cuidar direitinho e minha velhinha se recuperou bem da cirurgia, tanto que a cicatriz ficou melhor que muitas cesárias. Agora o tumor voltou na outra cadeia mamária, está com problemas de coluna, chegou a travar, fomos as pressas para o veterinário. Ficou internada por horas para ser medicada, em casa estávamos cuidando com vários medicamento, só que na volta para casa não quer mais comer ração, tentei outros alimentos que ela poderia comer, outros tipos de ração e saches, AD, papinha e tudo possível. Só bebe água e vomita em seguida, perdeu quase dois quilos em três semanas. Mal levanta e quando consegue trava no lugar. Não sei mais o que fazer, ela não tem mais qualidade de vida. Tenho medo de tomar a decisão errada, mas não aguento mais ver ela assim.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Fabio, lamento por sua querida Natasha!
      Acompanhar o sofrimento de quem amamos é muito impactante, nos sentimos impotentes por não poder nada. Como descreveu, você já cuidou e vem cuidando, mas como disse “ela não tem mais qualidade de vida”. Importante conversar com o veterinário, provavelmente ele oriente a eutanásia. Mas por todos esses anos de convivência e amor por sua “velhinha” essa decisão cause desconforto, medo, culpa…Uma decisão baseada no cuidado por ela não é falta de amor. Espero que fique com seu coração tranquilo, se despeça dela, converse com ela, agradeça por todo o tempo juntos e que ela siga em paz!
      Receba o meu carinho!

    • Ednir
      Responder

      Estou sofrendo meu luro hoje dia 03/11/2020.M⁹inha amada Pink 11 anos, apresentou problemas cardíacos, com retenção d3 líquido na cavidade do coração, e abdômen,de repente começou a inchar ,não querer comer.Levei logo nos primeiros sinais da doença, na veterinária ,foi passado medicação Rx, e foi retirada 15 litros de líquido do abdômen….mas em 1 semana voltou tudo ,piorou ,começou inchar os pés, não dormia ,por conta da respiração difícil, não comia mais nada, só forçada na seringa,problema na válvula mitral ,e suspeita de câncer no coração,e outros órgãos, desenganada, seria definhar até morrer….creio que foi abreviado o sofrimento dela.Eu estou chorando muito,por ter acontecido isso,e sem ter reversão….mas entendo que não tinha solução, nem saída. Só preciso sarar meu coração que está doendo muito .Creio que a dor da perda é a pior que existe .Eu tenho mais caes,mas ela sempre será minha filha,que amarei pra sempre .

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Ednir,

        Lamento pela perda da sua Pink, sim a dor de quem amamos é a pior que existe.
        Chore, chore quando desejar! Respeite a dor que está vivendo, difícil quando não podemos fazer mais por eles.
        Acredito que foi muito amada nesses 11 anos e é todo esse carinho que você irá guardar nas suas memórias e no seu coração.
        Ela tem um lugar especial, mas que os outros cães, te proporcionem o acalento que precisa.

        Um beijo!

    • Elizangela
      Responder

      Olá,meu nome é Elizangela e acabei de perder minha Samantha uma labrador q acabou de fazer 7 anos. Diagnosticada com a síndrome da cauda equina,mas não foi só a síndrome q foi a causa da eutanásia.o meu relato vai ser pouco grande mas vcs vão ver meu desespero para ver ela andando novamente.
      Tdo começou no dia q eu cheguei do trabalho e percebi a ela estava a mancar a pata de trás, continuei observando mas nada de anormal,até q no quarto dia ela foi subir a escada de casa e caiu pra traz como se não tivesse força na perninha. Pronto me desesperei e fomos direto pro veterinário.
      Chegando lá foi feito o exame presencial e com uma leve suspeita de cauda equina receitaram (tramall retard e penidsona) Voltamos e começamos com os medicamentos,7 dias direto,e ela teve até uma melhora.(nesse intervalo fizemos um chekap raio x e um exame de suspeita de leishmaniose,sendo q no raio x foi acusado a síndrome da cauda equina.)
      Assim q encerrou os 7 dias veio o meu pesadelo(o medicamento encerrou e ela literalmente parou de andar,meu Deus q desepero). Fisioterapia, acuputura,medicamentos e nada de resultado,idas e vindas no veterinário, infecção urinária,etc.Mais medicamentos e os exercícios e acuputura.
      Até q foi pedido a tomografia, resultado triste de saber minha filha além de ter a síndrome da cauda equina tbm estava com a coluna toda lesionada.
      E simplismente sem respeito algum o veterinário q me atendeu no dia me disse q ela nunca mais iria andar e q não existia cirurgia alguma na situação dela pra voltar a andar,chorei me desesperei e perguntei a Deus onde foi q eu errei.
      Então fomos pra casa tomando todas as medicações exceto a prenidsona(pois já tinha tomando por mto tempo).
      Sofri mais uma semana sem saber o q fazer,sugeri cadeirinha de rodas,mas me disseram q sem chance pois lesionou a coluna inteira.
      Domingo agora fomos a clínica novamente pra conversar com a veterinária q estava lá mas deixamos Samantha em casa.
      Conversamos e esplicamos a situação, como ela já estava por dentro de tudo pois estava com a pasta da Samantha,ela nos acolheu e nos disse q a Samantha apesar de estar lúcida pra comer e beber com alguém ajudando ela estava sofrendo de mta dor pois o remédio q estava tomando não estava fazendo o devido efeito,pois eu disse a ela q eu levantava várias vezes a noite na madrugada pra ver pq ela estava chorando.
      Me disse tbm q para as necessidades pelo fato de termos q induzir tbm ela iria ter várias crises de infecção principalmente a urinária.
      Além de outros problemas q viriam pela frente,e ela foi bem clara q seria problemas graves.
      Então ela me deu a opção de levá-la pra casa romansoais medicações como tramol retard entre outro só pra aliviar a dor dela ou a eutanásia pra dar um fim ao sofrimento da minha filha.chorei foi pra casa pesei sofri e levei ela pra clínica pra fazermos.
      Hj terça feira estou triste, angustiada, sofrendo a perda e me sentido culpada,pois eu tirei a vida dela totalmente lúcida e esperta pras coisas.sei q viria mta coisa ruim,e q ela já sentia mta dor e já estava conversando aparecer feridinhas por mais q eu tinha os cuidados.Sei tbm q foi um alívio pra ela descansar.A doutora me disse q foi o melhor pra ela mas eu não me conformo e tô sofrendo com o sentimento de culpa.Nao sei se vou suportar a perda dela,ela era tudo pra mim,não consigo dormir,concentrar no trabalho dentre outras coisas.Nao sei o q vou fazer daqui pra frente 😭😭😭😭😭.Me ajudem🙏🏻.

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Elizangela,

        Receba o carinho de todos aqui!
        Lamento pela perda da sua filha. Acredito que não tenha “errado” (quando menciona que perguntou a Deus aonde errou). O amor é tanto que você não quis que ela sofresse. O sofrimento, a angústia, culpa se torna presente nestes primeiros momentos. Então não se cobre para “ficar bem agora”. Você está vivendo o luto da Samantha, respeite isso… o processo de luto se manifesta através da falta de concentração, alterações no sono, tristeza, desamparo…espero que todos os momentos de alegrias que tiveram tragam conforto em seu coração. Vou deixar aqui o link do meu e-book: https://www.cristianeassumpcao.com.br/baixe-o-meu-e-book/
        Cuide-se, um abraço!

        • Elizangela
          Responder

          Oi Deus abençoe vcs e obrigada por tdo foi mto bom ter um palavra amiga 🙏🏻

      • Simone Cristina Crocco
        Responder

        Oi Samantha meu nome é Simone, meu filho tem 6 anos, um pastor alemaoalemão doce, obediente e muito amoroso, foi diagnosticado com essa síndrome, ele perdeu o controle fecal e urinário, porem anda,corre,pula,come, hoje deparei com moscas no ânus dele e tudo inflamado com hemorróidas, aqui onde moro não tem neurocirurgia, o veterinario sugeriu a eutanásia porque o quadro esta degringolando, me sinto tão impotente, no chao. Estou em lagrimas escrevendo esse post com uma tristeza de não poder fazer nada por ele, consultei um.veterinário do rio mas ele pediu ressonância magnética , aqui não tem, a cirurgia saira 10.mil reais e nao tenho.condição agora de arcar. Estou perdida… Não posso deixar ele sofrer mais.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Simone,

          Receba o meu carinho! Triste a situação dele, limitações com relação a cirurgia. É avassalador ver seu filho adoecer dessa maneira e não poder fazer ‘nada’. Mas pode amá-lo para sempre, guardar todos os momentos de alegrias que tiveram, no final é isso que fica.

          Um abraço, Cristiane.

  • Thawane Lorrane
    Responder

    Meu cachorrinho se chama Gorby e ele tem 12 aninhos ,está com um tumor na mandíbula,ele grita de dor, estamos tentando dar uma qualidade e vida melhor para ele mas ele não ta demonstrando melhora então decidirmos que vamos na veterinária dele para falar sobre a eutanásia,é horrível para ele viver assim e horrível para nós ver ele nesse estado,já fizemos de tudo ,mas não está se resolvendo,essa vai ser a coisa mais difícil que eu vou ter que enfrentar.Infelismete não temos dinheiro para tratar o câncer dele e mesmo se fizesse uma cirurgia a veterinária explicou que ela é muito agressiva e pode ser que ele nem sobreviva por ser um cão idoso. Ao mesmo tempo que eu quero que isso acabe eu não quero perde-lo, mas eu também aposto que se ele pudesse falar ele pediria por isso.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Thawane,

      Realmente essa é uma decisão difícil, importante conversar com o veterinário.
      Pensar que quer acabar com o sofrimento dele e ao mesmo tempo não querer perdê-lo, ”atormenta o coração”.
      Obviamente que vários sentimentos se misturam, se você ler outros depoimentos aqui, vai observar que essa decisão impacta, mas é pensada no todo. Qual a qualidade de vida do seu animalzinho?

      Receba o meu carinho neste momento delicado, acredito que o Gorby trouxe muitas alegrias na sua vida!

  • Vanessa Souza Caixeta
    Responder

    Hoje eu tomei a decisão mais difícil da minha vida. Minha Mel estava com 14 anos, tinha displasia coxofemoral que estava sendo tratada com os melhores suplementos. Há 25 dias, em uma consulta domiciliar com uma vet, Ela foi diagnosticada com infecção no útero, com necessidade de cirurgia mas pouca chance de sobreviver ou tentativa de tratar com remédios e prolongar a vidinha dela. Optei pela segunda alternativa, não estava preparada em perder minha Mel, acho que nunca estamos…
    Esses 25 dias foram os mais curtos e ao mesmo tempo doídos. Até chá milagroso eu dei pra ela na esperança de vê-la curada. Ela já não conseguia levantar sem ajuda… Eu levantava, dava água, dava as comidinhas que ela mais gostava, já que ela não queria mais comer ração… Estava medicando ela com antibiótico, antiinflamatório, mais 3 remedinhos homeopáticos pra displasia, infecção. Minha vida é bem corrida, mas com a pandemia consegui ter tempo para cuidar dela da melhor forma que pude e aproveitar esses últimos dias da minha filha. O corrimento parecia diminuir nas últimas semanas, mas há dois dias voltou mais forte. Noite passada não dormi nada, foi uma noite sofrida. Até então não tinha percebido um sofrimento tão grande quanto dessa noite, ela angustiada fazendo todas as necessidades fisiológicas ao mesmo tempo e ainda sentindo mal estar. Eu a vi agonizando, e isso me doeu na alma. Chamei uma veterinária que me deu a opção da cirurgia, deixando claro que a recuperação seria bem difícil de acontecer. Optei pela eutanásia e mesmo diante de tudo, ainda me sinto muito culpada por isso.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Vanessa,

      Receba o meu abraço virtual!
      Diante do seu relato, percebo que tentou fazer o melhor por sua filha.
      Enfrentar a perda daqueles que amamos é uma tristeza profunda!
      A culpa se torna presente sim em alguns momentos, mas não se esqueça das alegrias que tiveram juntas.
      Amar é também deixar partir!

  • Pâmela Bianchi
    Responder

    Meu filho estava com 16 anos, tinha insuficiência crônica nos rins. Nesse último mês já não comia,estava desidratada, com as taxas de ureia e creatinina altas no sangue. A veterinária me deu as opções, disse que podíamos fazer algumas transfusões de sangue e se ele reagisse bem tentar a hemodiálise, mas me disse também que eram procedimentos agressivos e caros, por final me deu a opção da eutanásia. Fiquei dias pesquisando alguma forma de pagar pelo tratamento que daria 7000,00 em média, por final coloquei na balança que estava sendo egoísta, tentando manter ele ao meu lado de qualquer maneira. Eu e meu marido conversamos muito e chegamos a conclusão da eutanásia pra acabar com toda a dor dele. Adiei o máximo que pude, não conseguia criar coragem pra levá-lo a clínica. Ontem senti que precisa ser forte por ele então fomos, ele chorou muito quando a anestesia começou a fazer efeito e o choro dele rasgou minha alma. Sinto que foi a pior opção, pedi muito perdão a ele. Agora não consigo parar de chorar e de acreditar que não era a hora certa e nem o que ele queria, mesmo a veterinária me dizendo que era reação da anestesia, nunca vou me perdoar, ele não merecia morrer depois daquele choro magoado. Sinto que trair sua confiança.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Pâmela,

      Receba meu carinho, meu abraço virtual!
      Culpa, raiva, choro, tristeza, arrependimento ficará presente neste primeiro momento.
      Lendo sua mensagem, pude perceber que sua decisão não foi imediata, avaliou as possibilidades e não apenas financeira. Tenho certeza que foi uma decisão difícil, mas ponderou pelo melhor do seu filhote. Nossa 16 anos, puxa, viveu muitos anos considerando a média dependendo da raça que é entre 10 a 13. Difícil aceitarmos que somos finitos, que eles também são…
      Como eles não “falam”, quem sabe esse choro fosse de despedida, quando existe amor, a despedida dói, dói em nós e dó no outro.
      “Hora certa?”, não sabemos, mas acredito que você fez o melhor por ele, por mais que tivesse feito mais e melhor, sempre vai considerar que não fez o suficiente. Está olhando apenas para a dor, isso é compreensível, mas olhe também para tudo que passaram juntos. Respeite sua dor, esse sofrimento faz parte do processo de luto, não bloqueie seus sentimentos. Cuide-se!

  • Michelli
    Responder

    No dia 30/05 levei meu cãozinho Pingo ao Vet, a barriguinha dele estava inchada e não estava se alimentando bem. Fizeram ultrassom, e meu mundo começou a desabar pelo diagnóstico, tumor no baço e fígado com alguns nódulos, e estava com um líquido sanguinolento na barriguinha. Ele foi bem atendido e me explicará muito bem que não tinha cura e sim tratamento para ele viver mais um pouquinho.
    Ele estava sendo alimentado por seringa, com comidinha q foi indicada, eu levava ele para fazer suas necessidades e beber água, medicamentos no hr.
    Ele tinha 5 aninhos, cuidei e amei mais ainda, meu pequeno anjo q só era felicidade e alegria, mas estava sofrendo, eu sabia o q teria q fazer só não tinha coragem.
    Mas, quando foi no dia 16/06, levei o na clínica veterinária e depois de muita conversa com a veterinária, e com muita dor no coração, optei pela eutanásia.
    Antes peguei o no colo e pedi perdão e disse o quanto amava, mas eu não poderia ser egoista de ver ele sofrer.
    E assim, partiu meu amorzinho , sem dor … e fiquei sempre com ele e antes da anestesia vi seu último olhar.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Michelli,

      Quanto amor eu percebi em suas palavras! Acredito sobre o quanto foi difícil essa decisão.
      Felizmente foi bem amparada pela veterinária, as informações e acolhimento neste momento são fundamentais.
      E tudo muito rápido do diagnóstico a eutanásia…respeite seus sentimentos, a dor de perder o animalzinho de estimação é semelhante a morte de uma pessoa próxima.
      Guarde em seu coração todos os olhares do Pingo, os mais especiais, principalmente aqueles quando você chegava…
      Acredito que foram 5 anos de muito amor entre vocês!
      Um abraço ACOLHEdor!

      • MARIA LUCIANA PINHEIRO DA SILVA
        Responder

        Bom dia. Meu cachorro está com 15 anos. E ultimamente não come mais ração e começou a abrir vários machucados em seu corpo. Quando descobrimos logo tratamos e fica sarado. No entanto nem sempre acontece e quando vamos tratar já está bem ruim. Já não sei o que faço. Os olhos dele começaram a remelar muito e sempre limpo com soro com medo de que venha a piora e dar bicho. Seria o caso de uma eutanásia?

    • FLAVIA
      Responder

      Michelli, passei pela mesma situacao que a sua. Meu filhote idosinho, adotado ha aoenas 9 meses foi diagbksticado com tumores no figado e baço. Demorei um dia p “digerir” a sugestao do veterinario sobrr eutanasia. Consultei mais veterinarios e a indicacao foi unanime. Ele partiu em 24/11 no final da manha. Fiquei c ele no jardim da clinica, o massageie, passei todo o meu amor e respeito à ele e fomos p.sala do procedimento. Ficamos a sos mais um.pouco e ele adormeceu, qdo eu chamei a veterinaria p.o.procedimento. O seu okhar ja nao.tinha a luz de sempre e nao tinha mais o.sorriso de se.pre no rosto. Parece que foi o.melhor p.ele, mas a certeza absoluta nao tenho. A minha alma doi, o coracao aperta e nao consigo parar de chorar. Muita saudades do.meu Bob, ser maravilhoso e inesquecível

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Flávia,

        Lamento pela perda do seu Bob! Pude perceber o amor que sente por ele, o carinho nos últimos momentos… esse momento da despedida é muito importante. E sobre sua dor, sentir o coração apertar, o choro… são sentimentos normais do luto. Não se culpe por isso e não evite os sentimentos. Que ele sempre esteja na sua memória e no seu coração.

        Um abraço!

  • Bruna
    Responder

    Terça feira dia 7/04 optei em fazer eutanásia na minha pequena de 11 anos e 10meses, ela até quinta feira estava bem, sexta pela manhã, vomitou e teve diarreia depois parou de comer, evacuar e não conseguia beber água e respirava com dificuldade. Levamos ela ao veterinário e ao fazer um ultra-som, foi descoberto um câncer grande na saída do estomago onde provavelmente já estivesse em metástase em seus pulmões, e a veterinária deu a opção de cirurgia e nos explicando que ela não teria qualidade de vida e se estivesse em metástase ela não poderia fazer nada. Mesmo ela medicada sentia muita dor, foi nos nada a opção de eutanásia, fui para casa chorei muito e eu e meu marido acabamos optando por fazer. Mas não consigo me perdoar, acho que devia ter tentado a cirurgia, não acho que tenha feito tudo o que eu poderia ter feito. Meu marido estava com ela no colo na hora da eutanásia e levamos ela para enterrar em um lugar que escolhemos e perto de nós, como eu peguei ela em meus braços e enterramos ela, o corpo dela ainda estava quente, e fico me perguntando se não teria chances de ela estar viva e eu enterrado ela, me sentindo culpada por ter optado pela eutanásia.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Bruna,

      Primeiro receba meu abraço virtual, como forma de acolhimento por sofrer a perda da sua pequena.

      Suas dúvidas geram ainda mais desconforto neste momento, importante pensar que o médico veterinário faz todas as avaliações necessárias, ou seja, confirma a morte do animalzinho após a eutanásia e com essa informação o corpinho é entregue aos familiares.

      A decisão da eutanásia não é confortável, muitas pessoas se sentem cruéis e impotentes por “não ter tentado mais”.
      Acredito que se pensar em como ela era nesses quase 12 anos, provavelmente vê-la adoecer e sofrer pesou em sua decisão…

      O momento que está vivendo é de dor, RESPEITE isso, respeite o seu luto, respeite as coisinhas dela, respeite sua decisão.

      Lindo seu depoimento sobre estarem presentes com ela e se despedirem. Que este local especial que escolheram para a pequena, (percebendo o amor que tinham por ela), seja um espaço de boas lembranças e não de sofrimento.

      Lamento a perda dela, um abraço acolhedor!

  • Ana
    Responder

    Boa noite! Meu anjo toma 3 gardenal de 100 todos os dias! E de um tempo pra cá ele está tendo muitas convulsões, não sei mais o q fazer. Estou pensando em fazer eutanásia pois ele está sofrendo demais. O q vc me sugere?

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Ana,

      Sugiro que converse com o veterinário que acompanha o tratamento do seu anjo.
      Assim ele irá avaliar a qualidade de vida dele e te orientar se será necessário o procedimento.
      Um abraço para vocês!

      • Ana Paula Boccia
        Responder

        Minha dúvida não me deixa dormir há quase 30 dias..quando deixei meu filho na segunda internação por conta de uma pneumonia grave …ele tinha 15 anos…um dia antes dele morrer durante a visita mtos médicos falaram comigo …ele tinha uma pequena melhora… mais então a médica responsável me disse .. tchau até amanhã cedo …E foi assim no dia seguinte pela manhã ela me ligou dizendo que ele havia falecido por parada cardíaca … como ela saberia que íamos nos ver pela manhã? Pq ele estava quente quando cheguei uma hora e meia após a ligação … será que ela eutanasiou ele sem minha autorização ???

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Ana,

          Lamento por sua perda. Quando perdemos quem amamos, várias são as dúvidas e questionamentos…
          Acredito que assim que identificou a morte do seu animalzinho a médica entrou em contato, para que você pudesse se despedir.
          Você conversou com ela sobre isso? Lembrando que o profissional deve seguir um protocolo e fez um juramento, eles zelam pela vida. A eutanásia precisa sim de sua autorização.

          Um abraço.

    • Amanda Marques
      Responder

      Hoje foi o dia mais triste da minha vida mi ha mel estava comigo a 11 anos ..resgatei ela da rua ja era adulta
      Final de 20019 foi dignosticada com um tumor na boca ,fiz uma cirurgia p retirar..com 15 dias após a cirurgia começou a crescer de novo e foi crescendo muito rápido..
      Após 6 meses nao tive escolha conversei muita com ela e levei a clinica p fazer a eutanásia
      Foi o momento mais dificil mas fiquei com ela até o final dizendo o qto eu a amava

      • Cristiane Assumpção
        Responder

        Olá Ana,

        Lamento sobre a perda da Mel! Realmente a decisão da eutanásia é difícil mesmo, mas o que que permanece é o seu amor. Amor quando a acolheu e amor quando se despediu.

        Um abraço!

  • Sheila góis da Silva
    Responder

    Tenho um Pitbull tem 11 anos já estou 3 noites choro em saber vou ter optar pelo procedimento sofro antecipadamente mais a dor de saber ele está sofrendo é maior ainda mais não tenho outra solução 😭😭😭só em saber ele não vai sofrer na hora de morrer já me alivia um pouquinho ele está com câncer eu fazendo isso vou está amenizando um pouco sofrimento.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Sheila,

      Realmente não tem como não sofrer, penso que é uma tristeza maior ver quem amamos adoecer e ficar debilitado.
      É uma decisão difícil, mas percebo que você está sendo bem orientada. Agradecer a convivência por esses 11 anos é o amor que permanecerá contigo. Lamento pela doença e sofrimento de vocês, que a dor dele seja amenizada. Um abraço acolhedor!

      • Pâmela Bianchi
        Responder

        Meu filho estava com 16 anos, tinha insuficiência crônica nos rins. Nesse último mês já não comia,estava desidratada, com as taxas de ureia e creatinina altas no sangue. A veterinária me deu as opções, disse que podíamos fazer algumas transfusões de sangue e se ele reagisse bem tentar a hemodiálise, mas me disse também que eram procedimentos agressivos e caros, por final me deu a opção da eutanásia. Fiquei dias pesquisando alguma forma de pagar pelo tratamento que daria 7000,00 em média, por final coloquei na balança que estava sendo egoísta, tentando manter ele ao meu lado de qualquer maneira. Eu e meu marido conversamos muito e chegamos a conclusão da eutanásia pra acabar com toda a dor dele. Adiei o máximo que pude, não conseguia criar coragem pra levá-lo a clínica. Ontem senti que precisa ser forte por ele então fomos, ele chorou muito quando a anestesia começou a fazer efeito e o choro dele rasgou minha alma. Sinto que foi a pior opção, pedi muito perdão a ele. Agora não consigo parar de chorar e de acreditar que não era a hora certa e nem o que ele queria, mesmo a veterinária me dizendo que era reação da anestesia, nunca vou me perdoar, ele não merecia morrer depois daquele choro magoado. Sinto que trair sua confiança.

  • Bianca Aparecida Ribeiro de Souza
    Responder

    Muito obrigada, vc tem razão, acho que estou querendo transferir a responsabilidade para o veterinário. Isso dói demais, perder dois de uma vez. Aos poucos vou retomando minha consciência. Agora é dar um tempo. Acalmar meu espírito.
    Grata e muito obrigada pela sua disponibilidade.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Somos humanos, não se culpe por isso. E não se desculpe por estar sofrendo.
      Receba meu carinho, estou aqui sempre que precisar. Se cuida!

  • Bianca Aparecida Ribeiro de Souza
    Responder

    Olá bom dia

    Há dois dias fiz eutanásia em dois cachorros, um já não andava mais e a outra só tremia o bumbum, ambos estavam com cinomose. Pedi a honestidade do veterinário e ele sugeriu a eutanásia, questionei a cachorrinha que só tremia o bumbum, ele disse que só ia piorar. Nem tentou me convencer de fazer tratamento, entrei em desespero comecei a chorar, ele perguntou se eu queria assistir eu disse que não. Estou extremamente triste, depois de alguns minutos voltei e pedi pra não fazer nela, mas ele disse que ela foi a primeira. Estou desnorteada sem saber se ele deu anestesia mesmo, se meus animais não sentiram dor, afinal eu não estava lá, me sinto muito culpada por ter abandonado eles nesse momento, fui muito egoísta. E estou com muita raiva do veterinário. Eu não podia ter feito isso, devia ter tentado tratamento, mas fui dar ouvidos ao veterinário.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Bianca,

      Primeiro lamento por essas perdas recente em sua vida. Se sentir “culpada por ter abandonado, egoísta” é recorrente em situações de eutanásia. O arrependimento de que poderia ter feito mais ou ter tentando mais se torna presente. A raiva que mencionou é também uma das manifestações do luto. Sobre a atuação do profissional, acredito que ele tenha seguido o protocolo, você pediu a honestidade e ele fez um juramento para atuar em sua profissão. Provavelmente, se orientou a eutanásia é porque a qualidade de vida dos seus bichos estavam comprometida. Perguntar se quer assistir é necessário e o tutor decide se quer ou não. A anestesia também está inclusa para o procedimento. Acredito que é preciso você respeitar seus sentimentos, está enfrentando duas perdas, o impacto disso é tremendo. Perdas recentes nos desorganiza emocionalmente e não tem problema nenhum sofrer por elas. Respeite isso e não esqueça do amor que investiu.

      Um abraço acolhedor!

  • Roberta
    Responder

    Hoje foi um dia muito difícil, nossa cadelinha Bola acabou de partir depois de alguns meses de tratamento contra um câncer. Fizemos quimioterapia, cirurgia, mais quimioterapia e não adiantou, infelizmente. A eutanásia era uma opção que nós não queríamos aceitar mas vê-la com tantos nódulos expostos por todo corpo nos feria mais ainda… Estou chorando até agora. Que tristeza meu Deus.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Roberta,

      Lamento pela perda da Bola! É muito difícil, fiquei aqui pensando o quanto vocês fizeram todas as tentativas para que ela melhorasse. Embora seja a decisão mais assertiva, sofremos.
      Receba o meu abraço e carinho neste momento triste. Desejo que as lembranças da Bola traga paz e tranquilidade em seu coração.

      • Valéria rocha
        Responder

        Meu cachorro esta com 18 anos muita dificuldade de andar dois passos e cai tem carinha triste esta fazendo necessidades na cama ou quando consegue levandar cai por cima do xixi e coco. Não sei se é a hora. Sofro por não saber tomar decisão.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Valéria,

          Puxa, 18 anos, lamento pelo adoecimento do seu animalzinho.
          Realmente não é uma decisão fácil e não tem como evitar o sofrimento, pelo sim ou pelo não irá se questionar.
          Converse com o veterinário, tente tirar todas as dúvidas. Espero que tenha tranquilidade em seu coração.
          Receba o meu carinho e desejo que ele não sofra em seus últimos momentos.
          Cuide-se.

  • Joelma
    Responder

    Foi o aniversário mais triste q eu passei, porém a eutanásia só foi feita um dia após meu aniversário e eu passar a noite toda com minha BB do lado da minha cama gritando, e eu passando a mão no seu corpinho pra ver se amenizava a dor q ela sentia… pq o q eu ouvia eram gritos de dor dela. Qndo cheguei no veterinário e ele me disse q ela só estava procurando um cantinho pra morrer. Pois o mesmo me perguntou se eu tinha esse local… Como já tinha me inteirado no dia anterior sobre Eutanásia eu mesma disse não quero vê-la sofrendo mais… Pedi q fizesse eutanásia… Com muita dor no coração e lembrar q foram 17 anos de muito amor entre nós duas… Pois nos seus últimos dias tinha q fazer comida especial, e colocar em sua boquinha… Foi assim mais de mês… Mas ainda comia… Dois dias antes da sua morte fez a última refeição… Já não queria mais comer e nem beber água… Dava soro e vomitava um líquido verde.
    Hj choro de saudades tem apenas um dia e meio q nos separamos… Eu no ato da Eutanásia entrava e saia do local onde estava acontecendo o procedimento… Segurava em suas patinhas e falava pro Veterinário: ela não quer morrer … Não me lembro bem qnto tempo demorou… Pois eu só chorava e parecia uma eternidade. Até q pela porta d vidro eu via o reflexo do dr. Embrulhando minha filhinha numa toalha… A dor aumentava naquele momento… Estou muito triste, queria morrer junto. .. a dor está insuportável 😭

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Joelma,

      Sim, a dor é insuportável! Lamento pelo sofrimento em que se encontra com a perda da sua bebê.
      Muito recente a despedida, próximo do seu aniversário, o processo de adoecimento…são situações que intensificam a dor, uma tristeza avassaladora. Ainda levará um tempo para lidar com tudo isso, não se cobre por sofrer por quem amou.
      Pense em toda a entrega de amor que fez nestes 17 anos e guarde todas as alegrias que tiveram em seu coração.
      Receba o meu carinho neste momento tão delicado de sua vida. E mesmo em meio a essa situação, lhe desejo Feliz Aniversário.

      • Joelma
        Responder

        Sei q vai amenizar a dor algum dia… Mas agora estou com SDS do meu BB. Obrigada pelas palavras.😭😭

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          O mais importante é você respeitar o seu tempo. Imagina, estou aqui sempre que precisar!

  • Adriana
    Responder

    Muito bom o texto, faz alguns dias que tenho pensado muito, muito nisso. Tenho um Lhasa adotado está muito doente, é irreversível, é idoso e seu coração cresceu tanto que prejudicou a traqueia, praticamente nao come, assim os remedios contínuos para pressao , diuretico, furosemida e codeina nao consigo dar direito, o que consigo dou por seringa. Por mais que eu queira ele junto a mim, devo prolongar esse sofrimento dele ? Mas eu nao tenho o direito de tirar uma vida. Eu nao sei o que fazer…..

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Adriana,

      Você descreveu que ele está sofrendo e realmente é uma decisão delicada e muito difícil. Solicite uma conversa com o veterinário que está tratando dele, exponha as suas dúvidas e seus sentimentos. Assim conseguirá definir o que será melhor para todos. Receba o meu carinho, um abraço para vocês!

      • Fabiana
        Responder

        Eu fiz eutanásia no meu Pitbull de nome Aquiles foi o nome que escolhemos pois sempre foi um guerreiro aprendi muito com ele pois ele teve cinomose no seu primeiro ano de vida ficou debilitado mas mesmo assim foi forte e guerreiro venceu a doença.Mas agora com 15 anos ficou muito doente escaras pelo corpo inteiro não andava mais comia bem mas fazia suas necessidades no mesmo lugar que dormia .Optamos pela eutanásia uma decisão muito difícil pois ele ficava olhando pra nós com cara de dó chorei meu esposo chorou o veterinário foi muito compreensivo com a gente explicou tudo o que aconteceria mas mesmo sabendo que acabei com o sofrimento dele mesmo assim o sentimento de culpa toma conta do coração .Está sendo muito dolorido e difícil .Meu Aquiles meu guerreiro .

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Fabiana,

          Lamento a perda do seu guerreiro. Adorei o nome!
          A decisão da eutanásia é realmente difícil, assim como a despedida (ele olhando para vocês).
          Sofremos, sofremos muito quando perdemos alguém que amamos, isso inclui os “filhos peludos”. As pessoas se questionam, se culpam, se arrependem algumas vezes. Acredito que por amor também precisamos tomar decisões difíceis. Neste momento você precisa acalentar o seu coração, chorar a perda dele, sentir saudade… Foram 15 anos de cuidado, de abraço, de brincadeira, de companhia, de amor… Desejo que permaneça o Amor e não a Dor!

          Cuide, um abraço!

  • DANIELA TORREZAN
    Responder

    Há 15 dias, optei pela decisão mais difícil da minha vida: sacrificar meu gato de 10 anos, que para mim, era um filho, muito amado e mimado. Ele estava com hepatite. Fiz o tratamento, alimentava-o com a seringa, porém, apesar de todos os cuidados, infelizmente, o tratamento não surtiu efeito e ele piorou. Nos últimos 3 dias de vida, ele só gemia, pedindo ajuda e, infelizmente, não havia mais o que fazer. Pedi mais uma vez a opinião do vet, e ele foi bem claro: não havia mais jeito. Ele fez a eutanásia com todo cuidado, de uma forma humanizada. Garantiu-me que meu filhinho não sentiria nenhuma dor. Aplicou-lhe a anestesia. Mas ela parecia não fazer efeito. Explicou-me que ela é metabolizada pelo fígado e como ele estava com o órgão bem debilitado, demoraria mais para adormecer. Depois de 10 minutos, aplicou-lhe outra dose. Ainda assim, ele demorou muito para adormecer. Quando finalmente ele dormiu, aplicou a injeção letal diretamente no coração. Eu já sabia sobre os espamos… porém, meu gato gritou!!!!! Nesse momento, eu quis morrer também! Será que ele sentiu?? Não consigo me perdoar, pois acho que ele sentiu mais essa dor. Quero saber se é normal o animal gritar. Obrigada pela atenção e espero uma resposta.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Daniela,

      Só visualizei a sua mensagem agora.
      Primeiro obrigada por compartilhar sua história. Acredito que seu “filho peludo” tenha sido muito amado. E por amá-lo, a decisão da eutanásia se torna difícil, mesmo sabendo que é para evitar o sofrimento, como disse ele já estava debilitado.
      Sobre a dor, existem perguntas que não teremos as respostas. A sensação de impotência por não ser possível evitar o sofrimento de quem amamos nos traumatiza. Você está vivenciando a dor de perder o eu animalzinho, um processo que leva tempo, questionamentos sobre ter ou não feito o melhor para o seu gato…Que permaneça o Amor e não a Dor, receba o meu abraço.

      • Sara
        Responder

        Olá, boa tarde.
        Acabamos de realizar a eutanásia de um idosinho de 16 anos. Estava com 3 focos de câncer, não andava mais, já estava com escaras, muito debilitado. Foram 3 semanas lutando para sua melhora (ainda tínhamos esperança) e tivemos que decidir por realizar esse procedimento já que ele não tinha mais nenhuma qualidade de vida.
        A minha dúvida agora é se o procedimento foi feito corretamente… 😫 No momento eu estava muito tensa e pesarosa, mas vi o médico aplicar somente uma injeção. Será que vi mal? Seria possível misturar a anestesia geral com o medicamento da eutanásia? Estou com medo dele ter sofrido. Ele teve espasmos mas somente no focinho, nos músculos do focinho dele, sabe? Mas logo que ele aplicou a injeção que eu vi, eu senti ele relaxando, os olhos se desligando, e aí sim depois que vieram os espasmos. Eu perguntei ao médico depois e ele disse que foram duas injeções, mas to super na dúvida e me sentindo muito mal achando que o Bob sofreu. Será?

        Ah, vc é um amor por responder todo mundo, e da forma que vc responde. Parabéns ♥️

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Sara,

          Lamento pela perda do seu Bob! Como não sofrer?!
          Eu tenho grande admiração pelos médicos, sigo acreditando que eles têm cuidado com o trabalho que realizam.
          Talvez você tenha ficado tão vulnerável que não percebeu…nos questionamos seles sofreram, se fizeram certo, “se”, “se”…
          Sobre os espasmos realmente acontecem e cada animalzinho reage de uma maneira…
          Eu penso que é um sofrimento tremendo ver quem amamos sofrer… então receba meu carinho, pense nos 16 anos que tiveram a alegria de conviverem…
          Guarde todo esse carinho em seu coração!
          Respondo todos sim com muito carinho, minha vontade era poder abraçar cada um de vocês. Poder escutar as histórias deles, quais eram s manias, os brinquedos que mais gostavam, ver fotos…Enfim, receba o meu abraço virtual!

        • Mariluci
          Responder

          Meu pet tem 15 anos,não anda mais faz necessidades deitado,eu e marido passamos o dia todo cuidando,limpando,agora está com escaras, Quando fecha de um lado,sai do outro,fazemos curativos todos os dias,colocamos placas regenerativa,colocamos tapete higienico e trocamos 2 x ao dia,ele está comendo,mas tem chorado muito.Eu amo o Klaus,mas acho que chegou s hora não aguento ve-assim.Esta muito difícil para meu marido que não aceita a eutanásia,ele não tem vivido,saído de casa pra não deixar o Klaus sozinho.ta muito difici

          • Cristiane Assumpção

            Olá Mariluci,

            Lamento pelo seu Klaus, acredito quando diz que está sendo difícil. Ver sofrer quem amamos (isso inclui os animais) é terrível, impotência total. Entendo que já tiveram a orientação de um médico veterinário, mas seu esposo tem outra decisão. Importante respeitar e avaliar o que é melhor para o Klaus, para seu marido e para todos.
            Sugiro que leiam o meu e-book gratuito, vou deixar o link aqui: https://www.cristianeassumpcao.com.br/baixe-o-meu-e-book/

            Um abraço!
            Cristiane

  • Rosangela Oliveira
    Responder

    Muito bom o texto, bem explicado, para quem está tendo que lidar com uma doença sem cura de seu animal ajuda bastante, pois nos ajuda a compreender que fazer a eutanásia no animal, não nos faz a pior pessoa,mas sim não querer ver o sofrimento do mesmo em estado terminal.

    • Cristiane Assumpção
      Responder

      Olá Rosangela,

      Exatamente, é difícil lidar com essa decisão. Mas é importante pensar no amor que você tem pelo seu companheiro de 4 patas.

      • Cintia
        Responder

        Estava pesquisando sobre a eutanásia é cheguei nesta página, a empatia e os esclarecimentos me ajudaram muito. Nos comentários vejo que não estou sozinha. Eu tenho uma fila brasileira de 8 anos e recentemente descobrimos que ela está com câncer ósseo, localizado no céu da boca abrangendo a mandíbula e o fucinho. Hoje fui no oncologista e fiquei sabendo que mesmo com a cirurgia não há garantias de cura. O osteorsacoma é muito agressivo e já está em todo o focinho indo para a cabeça.Então ele não têm margem de segurança cirúrgica. Provavelmente ainda ficariam celulas cancerígenas. Há ainda micronodulos no pulmão que podem vir a ser metástases, ela têm uns nódulos nas mamas, o baço está aumentado. Me debati muito se deveria arriscar a cirurgia é tentar dar uma sobrevida para ela. Mas ela teria que fazer na cabeça, depois nas mamas, talvez retirar o baço e ainda precisaria fazer rádioterapia, que não é feita no meu estado e cujos valores são caros e não tenho condições. Enfim, nada disso é garantia de vida, então optamos por manter as medicações para dor e darmos a ela todo amor e carinho no tempo que ela ainda tiver.Não é fácil, é doído demais, mas se chegar a hora de optar pela eutanásia provavelmente vamos fazer. Sinto culpa, muita, mas foram 8 anos maravilhosos com ela. Por mais que eu queira que ela viva 20 anos, sei quê isso em cães de grande porte não é possível.Mas tenho fé que Deus está me guiando nas minhas decisões. Grande abraço de conforto a todos que passam pela mesma situação que eu.

        • Cristiane Assumpção
          Responder

          Olá Cintia,

          Lamento pelo diagnóstico da sua fila. Fico feliz que as informações te ajudaram.
          Que lindo “todo amor e carinho”, manter isso é importante. Desejo que ela tenha o sofrimento amenizado.

          Receba o meu carinho!

          • Barbara Dantas

            Ola Cristiane. Meu gatinho passou por um procedimento que teve que colocar a sonda…mas nao adiantou ele nao come nao urina. Estou sofrendo muito pois n tenho condicoes de trata-lo . Estou sem travalhar isso complica tudo posso pedir para fazer eutanásia? Nao aguento ver ele sofrendo…

          • Cristiane Assumpção

            Olá Barbara,

            Lamento as condições do seu gatinho! E também por você estar sem trabalho, acredito que mesmo se estivesse trabalhando, não gostaria de vê-lo sofrendo. A eutanásia normalmente é orientada pelo veterinário, o que ele te orientou? Conversaram sobre o diagnóstico, possibilidades de tratamento? Se não tiver s informações necessárias, tente buscar por outro profissional.

            Receba o meu carinho, desejo que o sofrimento de vocês seja amenizado!

Deixe um comentário

Término de Relacionamento - Cristiane AssumpçãoMorte do Pai - Cristiane Assumpção